Home / Notícias

Notícias

Senai Empresa apresenta palestra sobre NR 12 em Ribas do Rio Pardo
|11 de junho de 2018|

O coordenador do Programa de Manutenção Industrial do Senai Empresa, engenheiro Jeancarlos Lucietto, apresentou palestra sobre NR 12 para trabalhadores da indústria de Ribas do Rio Pardo, no auditório da Câmara de Vereadores do município. Na ocasião, também foi apresentada uma palestra sobre NR31, pelo engenheiro Maurício Ferreira, da ASMEST (Associação Sul-Mato-Grossense de Engenharia de Segurança do Trabalho).
As palestras são fruto de uma parceria com o TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul), por meio do juiz do Trabalho Marcio Alexandre da Silva, que lidera o Getrin-24 (Grupo de Trabalho Interinstitucional), idealizador da iniciativa.

“A NR12 é a norma regulamentadora responsável por definir referencias técnicas, princípios e medidas de proteção que venham garantir a saúde e integridade física dos colaboradores da empresa, estabelecendo riscos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças no ambiente de trabalho, envolvendo as fases de projeto e utilização de máquinas e equipamentos de todos os tipos”, explicou Lucietto sobre o tema abordado na palestra.

O objetivo era conscientizar e contribuir para a prevenção de acidentes de trabalho em máquinas e equipamentos na indústria e no campo. O grupo de trabalho foi criado este ano para incentivar, promover, operacionalizar, divulgar e fortalecer a Campanha de Promoção de Saúde e Segurança e Prevenção de Doenças e Acidentes de Trabalho e implementar a Agenda de Trabalho Decente, estabelecida pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), em Mato Grosso do Sul.

“Considerando que boa parte da mão de obra brasileira trabalha diariamente com algum tipo de máquina ou equipamento, a NR12 é considerada uma das principais NRs entre as 36 existentes. A sua correta aplicação é vantajosa tanto para o empregador quanto para o empregado. O empregado, por óbvio, garante sua segurança física enquanto trabalha. Já o empregador, por seu lado, garante um menor risco de acidentes de trabalho, que evitam multas, interdições e processos trabalhistas grandes o suficiente para afetar sua operação”, acrescentou o coordenador do Programa de Manutenção Industrial do Senai Empresa.

As apresentações fecham a semana de visitas feitas à quatro serrarias de Ribas do Rio Pardo pelo juiz Marcio Alexandre e fiscais do Ministério Público do Trabalho, em caráter preventivo. As visitas resultarão em um relatório técnico para implementação de melhorias no ambiente de trabalho.

O juiz Márcio Alexandre destacou a relevância da segurança no ambiente de trabalho, em razão dos impactos patrimoniais e perda da liberdade do empregador. “Temos a questão da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e do técnico de segurança numa empresa, se esses profissionais atuem em omissão, também respondem a sua liberdade como o empregador. É uma responsabilidade gigantesca, e o empregador e os profissionais de segurança precisam se conscientizar dela. E o trabalhador também tem sua responsabilidade. A segurança não é feita de forma unilateralmente, o empregado tem participação ativa nisso. Contamos com o Senai para essa conscientização com a palestra de hoje e futuramente, em capacitações nas NRs”, disse o magistrado.

Para o gerente de controle e qualidade da Herpan Nutrição Animal, William Brito, que assistiu a palestra, a NR12 foi esclarecida. “Achei a palestra importante para entender melhor a NR12 e como ela pode contribuir para a prevenção de riscos de acidentes dos trabalhadores e levarei isso para a empresa”, avaliou.

Técnica de Segurança do Trabalho autônoma, Patrícia Santos, também destacou a importância das informações apresentadas. “Ver os exemplos de acidente que podem acontecer e de dispositivos de segurança contribui para o nosso dia-a-dia. Essa troca de informações com quem tem experiência em vários segmentos da indústria é muito válido”, opinou.

Proprietário da Madeiras Lago, Miguel Angelo Catelan acrescentou que antes, da palestra, a NR12 era algo desconhecido. A empresa dele foi uma das que recebeu a visita preventiva do Getrin-24. “Foi bem interessante e a NR12 era quase desconhecida para mim. Tenho máquinas antigas de serralheria, como a maioria aqui em Ribas, e nem sabia os riscos que elas apresentavam. Melhor é fazer um trabalho preventivo, e aguardo o relatório do grupo para ver quais ações devo tomar”, finalizou.

O Getrin-24 é composto pelo Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região (TRT/MS), Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso do Sul (MPT/MS), Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Mato Grosso do Sul (SRTE/MS), Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro - ERMS), Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Mato Grosso do Sul (Cerest MS) e o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Regional Campo Grande).


Mais Imagens