Home / Notícias

Notícias

Senai Empresa dá dicas para não levar susto com a conta de luz devido ao forte calor
|29 de setembro de 2020|

O clima seco e as altas temperaturas não deram trégua para aparelhos de ar condicionado, ventiladores e umidificadores no inverno e muito menos agora no início da primavera. O resultado é que muitos consumidores tiveram um susto com os altos valores na conta de energia elétrica que venceram agora no mês de setembro e já estão preocupados com as que vão vencer no mês de outubro.

Neste mês de setembro, foi observado um aumento médio de 15% no consumo de energia elétrica e de até 20% no valor da tarifa, segundo levantamento da Energisa, que é concessionária de energia elétrica responsável por 74 dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. Além disso, o ICMS e a taxa de iluminação pública, que também variam conforme o consumo, acabaram ficando mais altos, pesando no bolso dos consumidores.

Atento a essa realidade, o Senai Empresa preparou algumas dicas para que os consumidores não se assustem na hora de receber a conta de luz pelos próximos meses, já que a tendência é de temperaturas cada vez mais altas de agora em diante e o resultado é o aumento no consumo de energia elétrica caso não se tome alguns cuidados. Confira abaixo as dicas para se economizar energia:

1 – Pode ligar o ar condicionado, mas deixe janelas e portas fechadas

Segundo o consultor do Programa Senai de Gestão Energética do Senai Empresa, Sebastião Dussel, que também é engenheiro eletricista, os aparelhos de ar condicionado são, de longe, os que causam maior aumento no consumo de energia elétrica porque, além de possuírem potência elétrica acima da média dos demais eletroeletrônicos de um domicílio, normalmente ficam ligados por até 8 horas diárias quando o calor é intenso, razão pela qual deve ser dimensionado adequadamente e instalado corretamente por profissionais habilitados e experientes. “Além dessas recomendações, é necessário vedar todas as arestas do ambiente a ser refrigerado para minimizar a entrada de ar quente externo, e forçar o aparelho a trabalhar além do necessário”, afirma Sebastião Dussel.

2 – É melhor deixar o ar condicionado ligado por mais tempo, mas em temperaturas mais altas

Outra sugestão é evitar a regulagem da temperatura na graduação mínima da escala – normalmente 17ºC -, porque só vai forçar o aparelho e aumentar o consumo. “O ideal é deixar a regulagem em torno de 22ºC e aguardar um pouco que a temperatura ambiente se torne agradável, mantendo o consumo de energia elétrica dentro dos padrões de ensaio realizado no laboratório do fabricante do equipamento”, acrescenta o consultor do Senai Empresa.

3 – Intercalar o uso do ar condicionado com o ventilador

Sempre que possível, intercalar o uso do ar condicionado com o ventilador, mantendo o primeiro ligado até que a temperatura ambiente atinja o patamar de seu agrado, migrando para o segundo para manter a temperatura agradável, lembrando que o ar condicionado consome até 10 vezes mais energia que o ventilador.

4 – Inspecionar as borrachas das geladeiras

As borrachas de geladeiras, freezers e câmaras frias devem ser sempre inspecionadas e trocadas quando for identificado algum tipo de ressecamento que comprometa a vedação desses eletrodomésticos. 

5 – Não abrir a porta da geladeira o tempo todo

Sabe aquela famosa frase de “abrir a geladeira para pensar”? Está proibida, principalmente nos dias mais quentes, quando já existe uma sobrecarga com os equipamentos de ar condicionado e ventiladores ligados ao mesmo tempo. Por isso, a dica é se organizar antes de abrir a geladeira e já pegar tudo de uma vez. 

6 – Utilizar o simulador de energia fotovoltaica do Senai

Se o objetivo for reduzir ainda mais a conta de luz, o Senai disponibiliza por meio do link http://www.simuladorsenai.com.br/ um simulador de energia fotovoltaica para que os interessados possam se informar sobre os custos e vantagens do investimento. Por meio de um questionário simples é possível identificar a potência do sistema fotovoltaico que deve ser instalado, bem como a produção mensal, a quantidade de placas e qual o valor de investimento.


Mais Imagens